Património

Placa em cerâmica

LocalLisboa / Lisboa
OrigemLisboa
Entidade TitularIGESPAR (S. Francisco N. Inv. 178)
DesignaçãoPlaca em cerâmica
CronologiaSéc. X-XI
Dimensões40 cm diâmetro, 3 cm espessura
DescriçãoPlaca em cerâmica, fabricada com pasta de cor rosada de textura homogénea e compacta. Tem forma ligeiramente ovalada, com um dos lados levemente convexo e o outro mais côncavo e com marcas de corte muito finas. É uma peça bastante espessa e pesada e foi encontrada no Convento de São Francisco de Santarém. A sua funcionalidade é hoje uma incógnita. Chegou-se a colocar a hipótese de servir de base para a cozedura de pão, uma hipótese que gera dúvidas dada a falta de um rebordo exterior, normalmente presente neste género de peça, e de marcas de fogo. Outra hipótese é que serviria de base para o corte e preparação de alimentos, como testemunham as marcas de corte numa das fases. Também foi ponderada a possibilidade de ser uma tampa, embora lhe falte uma pega. Segundo Carla Lopes e Maria de Magalhães Ramalho, esta seria uma peça polivalente de âmbito culinário e que tem paralelos noutros fragmentos encontrados no Castelo de S. Jorge e na Rua dos Correeiros em Lisboa.
BibliografiaCarla Lopes e Maria de Magalhães Ramalho, "Placa", De Scallabis a Santarém. Catálogo, Lisboa, Museu Nacional de Arqueologia, 2002, p. 155.
Categoria(s)Arqueologia Utensílios
ComentariosOrigem da imagem: Carla Lopes e Maria de Magalhães Ramalho, "Placa", De Scallabis a Santarém. Catálogo, Lisboa, Museu Nacional de Arqueologia, 2002, p. 155.
Images