Património

Lápide funerária de Muhammad Khalifa

LocalAljustrel / Messejana
OrigemMessejana
Entidade TitularColecção particular
DesignaçãoLápide funerária de Muhammad Khalifa
Cronologia484 H / 1090-91 d.C.
Dimensões63 cm altura; 45 cm comprimento; 5 cm profundidade.
DescriçãoLápide funerária em xisto, partida em dois fragmentos. Apresenta caracteres cúficos simples, com alguns diacríticos. O texto refere a morte de Muhammad Khalifa e termina com uma composição poética em metro munsarih. Tradução da inscrição: "Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso. Morreu Muhammad Khalîfa, Deus tenha compaixão dele e lhe perdoe. Dava testemunho que não há outro deus senão Allāh, o único, que não tem associado. Ele testemunhou de acordo com o estabelecido na sua religião e reafirmou que Allāh- que seja louvado e exaltado – é o seu Senhor. Morreu na quinta-feira dez passados de Rabīc I do ano de 484. Ó gentes! Eu esperava muito da vida. A morte impediu-me de o alcançar. (Todo) o homem teme a Deus seu Senhor enquanto a vida lhe permite ainda agir bem. Não sou o único que passou a esta campa. Qualquer um passará do mesmo modo." O epitáfio é muito próximo de outros encontrados em Qayrawan e em Almeria. Foi dada a conhecer por Abel Viana em 1962, quando publicou uma sua reprodução. Integra actualmente numa colecção particular, em Messejana.
BibliografiaMário Jorge Barroca, Epigrafia Medieval Portuguesa (862-1422), vol. III, Lisboa, FCG, FCT, 2000, pp. 57; Artur Goulart de Melo Borges, "Lápide funerária de Muhammad Khalifa. Xisto", Portugal Islâmico. Os últimos sinais do Mediterrâneo. Catálogo de exposição, Lisboa, IPM, MNA, 1998, p. 239; Ana Labarta e Carmen Barceló, "Inscripciones Árabes Portuguesas: Situación Actual", Al-Qantara, vol. VIII, Madrid, 1987, pp. 403-404; Abel Viana, Arqueologia Prática, Beja, 1962, p. 132.
Categoria(s)Arqueologia
ComentariosOrigem da imagem: Portugal Islâmico. Os últimos sinais do Mediterrâneo. Catálogo de exposição, Lisboa, IPM, MNA, 1998, p. 239;
Images