Património

Lápide funerária em grés

LocalSantiago do Cacém / Santiago do Cacém
OrigemOurique
Entidade TitularMuseu Municipal de Santiago do Cacém
DesignaçãoLápide funerária em grés
CronologiaSéc. XI
Dimensões60 cm altura; 20 cm comprimento
DescriçãoUm dos fragmentos de das duas lápides funerárias em grés encontradas em 1933 em Ourique e depositadas no Museu de Santiago de Cacém. Apresenta caracteres cúficos incisos, muito rudes e irregulares. Labarta e Barceló, apesar do estado fragmentário da peça, conseguiram identificar que se trata do epitáfio de um desconhecido que, a partir da quarta linha, apresenta a profissão de fé islâmica seguida de uma passagem do Corão: "Dava testemunho de que não há outro deus senão Allah, o único, que não tem associado, e de que Muhammad é o ser servo e o seu enviado, a quem mandou "com a sua direcção para fazer triunfar a verdadeora religião sobre todas as outras, apesar da hostilidade dos idólatras" (IX, 33),
BibliografiaCláudio Torres e Santiago Macias, O legado islâmico em Portugal, Lisboa, Círculo de Leitores, 1998, p. 143; Mário Jorge Barroca, Epigrafia Medieval Portuguesa (862-1422), vol. III, Lisboa, FCG, FCT, 2000, p. 75; Artur Goulart de Melo Borges, "Lápide funerária. Grés", Portugal Islâmico. Os últimos sinais do Mediterrâneo. Catálogo de exposição, Lisboa, IPM, MNA, 1998, p. 242; Ana Labarta e Carmen Barceló, "Inscripciones Árabes Portuguesas: Situación Actual", Al-Qantara, vol. VIII, Madrid, 1987, p. 414.
Categoria(s)Arqueologia
ComentariosOrigem da imagem: Artur Goulart de Melo Borges, "Lápide funerária. Grés", Portugal Islâmico. Os últimos sinais do Mediterrâneo. Catálogo de exposição, Lisboa, IPM, MNA, 1998, p. 242;
Images