Património

Tigela com decoração em verde e manganês (Paraíso)

LocalLoulé / Vilamoura
OrigemVilamoura / Cerro da Vila
Entidade TitularMuseu do Cerro da Vila (Lusotur 0009-0012)
DesignaçãoTigela com decoração em verde e manganês (Paraíso)
Cronologia2ª metade séc. X
Dimensões12,5 cm altura; 35 cm diâmetro
DescriçãoGrande tigela em cerâmica. Tem bordo boleado, paredes divergentes e base ligeiramente convexa. A superfície exterior é revestida por uma camada de vidrado melado esverdeado. A face interior é decorada a "verde e manganês", com motivos pintados a vidrado verde e manganês sobre fundo branco. No centro da tigela, encontram-se dois círculos concêntricos emoldurados por um quadrado de cujos ângulos nascem duas longas folhas que envolvem um bolbo floral – um motivo que faz alusão à Árvore da Vida. Dos lados do quadrado partem quatro faixas radiais, contendo quatro Cordões da Eternidade, que representariam os quatro rios eternos. Estas faixas dividem a face da tigela em quatro campos decorativos, entre os quais foi esboçada, em caracteres cúficos, a palavra "AL-MULK" ("poder", "soberania"), a qual sugere o excerto do Alcorão: "Eis aqui uma descrição do Paraíso que foi prometido aos crentes: Lá correm rios de água límpida; rios de leite de sabor inalterável; rios de vinho enebriante para aqueles que o bebem; e rios de mel purificado; ali terão toda classe de frutos, com a indulgência do seu Senhor" (Alcorão, XLVII, 15). Assim, esta composição decorativa seria uma representação simbólica do Paraíso. Esta peça foi encontrada no Cerro da Vila, em Vilamoura, Loulé.
BibliografiaSusana Gómez Martínez, "Tigela com representação simbólica do Paraíso", Os signos do quotidiano: gestos, marcas e símbolos no Al-Ândalus. Catálogo da exposição, Mértola, Campo Arqueológico de Mértola, 2011, p. 36; Cláudio Torres, Cerâmica Islâmica Portuguesa. Catálogo, Mértola, Campo Arqueológico de Mértola, 1987, n.º 78; José Luís de Matos, "Malgas árabes do Cerro da Vila", O Arqueólogo Português, série IV, n.º 1, 1983, pp. 385-386; Idem, "Influências orientais na cerâmica muçulmana do Sul de Portugal", Estudos Orientais, n.º 2, 1991, pp. 75-83.
Categoria(s)Arqueologia Utensílios
ComentariosOrigem da imagem: Susana Gómez Martínez, "Tigela com representação simbólica do Paraíso", Os signos do quotidiano: gestos, marcas e símbolos no Al-Ândalus. Catálogo da exposição, Mértola, Campo Arqueológico de Mértola, 2011, p. 36;
Images